terça-feira, 1 de novembro de 2011

Protesto

Após passarmos por diversos governos escolhidos democraticamente e diretamente pelo povo, nos resta a triste constatação de que, independentemente de ideologia, corrente partidária, projeto político, etc., somos facilmente e reincidentemente iludidos quanto aos nossos direitos, sejam eles pessoais ou coletivos. E o pior é que, em determinados momentos, não adianta apelar para ninguém, a exemplo da atual conjuntura política que representa um retrocesso aos objetivos pelos quais tanto reivindicamos, lutamos e conquistamos, pois, na prática vivenciamos uma nítida "ditadura", como outrora respaldada pelo judiciário e pelo legislativo, que ratificam novos projetos de lei, muitos inconstitucionais, por ferirem de morte o pouco que nos restou, sob a perversa lógica do fisiologismo que prevalece sobre a maioria. A quem reclamar ou recorrer? Até quando "apanharemos" para aprendermos que o nosso voto é uma moeda cujo valor pode e deve ser determinamos por nós?
Fica aqui o registro de minha indignação com a situação em que nos encontramos como funcionários públicos do Estado da Bahia.

Marcos Brasileiro.